Sem “Piedade”, 42 vão para o desemprego

Sem "Piedade", 42 vão para o desemprego

A empresa de Fiães aponta o fim da produção de rolhas tradicionais como causa do despedimento

•  Processo de despedimento coletivo deverá consumar-se até 6 de agosto

A multinacional francesa, Oeneo, que em 2018 já tinha despedido 38 trabalhadores na PIETEC, vem agora sobre a Piedade em Fiães que vê, 42 dos seus operários dispensados.

A Oeneo, detentora de 100% do grupo piedade, tem assentado a sua estratégia no microgranulado e não parece ter interesse no mercado tradicional de rolhas – decidiu por isso, extinguir a única linha de produção dedicada a esse tipo de produto.

Conforme noticiou a Sapo24, “o despedimento coletivo abrange todos os operários afetos à produção e, consoante a antiguidade de cada funcionário, deverá concretizar-se até ao prazo máximo de 6 de agosto, altura em que será encerrado o fabrico de rolhas”. Na mesma notícia ainda se lê que a Piedade nesta fase não tem “vagas disponíveis para a sua recolocação na PIETEC nem na Sá & Sobrinho” mas realça que “está acordado com a empresa de ‘outplacement’ LHH, contratada para acompanhar e apoiar os trabalhadores durante este processo, que, sempre que surjam vagas na PIETEC ou na Sá & Sobrinho, os operários abrangidos pelo despedimento coletivo serão privilegiados”.

 

Notícias Relacionadas