(Vídeo) Orgulho malapeiro reaviva festas da freguesia

(Vídeo) Orgulho malapeiro reacende as festas da freguesia

• Festas de S. João de Ver são cada vez uma referência no concelho

Em S. João de Ver a tradição voltou. Estamos a duas semanas das Festas Sanjoaninas e é justo dizer que junho é o mês dos malapeiros, com três romarias bem portuguesas que atraem centenas e centenas de pessoas e são já passagem obrigatória para quase todos na freguesia e no concelho. 

“Todos os que cá vivem lembram-se de estarem sempre ansiosos para que chegasse o mês de junho”.  

A Festa de S. Rita abriu as festividades, com a paróquia a restaurar uma tradição popular que todos recordam pelas rosas e vira-ventos. 

Ao chegar, de imediato percebi que o orgulho por esta festa sobressai em todos os que participam e não havia senhora ou menina que não fizesse questão de ter uma rosa na mão. Os curiosos também apareceram e deslumbraram-se com a devoção de uma festa que celebra a bondade do coração de uma mãe, esposa e mulher – Santa Rita de Cássia.

A Festa da Senhora da Hora veio no fim de semana a seguir e também ela renasceu da vontade de uma geração que a lembrava com saudade e devoção.

Cheguei à Senhora da Hora, numa final de manhã estival, o espaço parecia ter duplicado e foi impossível ficar imune à beleza da festa e à paisagem que a envolvia

Ao lado da capela, vislumbram-se as sombras inquietas da azáfama de quem preparava a refeição, um cheirinho que prometia uma gastronomia feita pelas melhores mãos da região, com o mérito para a comissão fabriqueira que este ano ficou encarregue da tenda de comes e bebes.

No belíssimo e requalificado Largo da Senhora da Hora, um magnífico tapete de flores deixou todos maravilhados e o caminho seguia até à capela que totalmente restaurada lembrava um tesouro escondido de uma aldeia beirã. 

O edifício, os altares e as obras sacras tudo foi remodelado, se juntarmos a esta equação um jardim todo ele relvado, com muita música e boa disposição, só consigo dizer: foi pena não ter aceite o convite e ficado para comer.   

Entre o final das cerimónias e o início da refeição encontrei Amadeu Albergaria, o deputado feirense preparava-se para tirar o fato e vestir o avental —  como membro da comissão fabriqueira deu o corpo ao manifesto. Claro está, não resisti e perguntei como é ver renascer este orgulho malapeiro.   

Terminada a Festa da Senhora da Hora, Amadeu Albergaria, deixou na sua página de Facebook um agradecimento especial “a todos e a todas os voluntário/as que fizeram desta festa um sucesso. Obrigado às incansáveis a aos incansáveis da tenda! Equipa cinco estrelas! Obrigado aos Juízes! Obrigado aos milhares que vieram”.

Por isso, não perca o próximo arraial onde a sardinha é rainha, as Festas Sanjoaninas, de 24 a 30 de junho – a terceira e última do mês, por sinal a maior. 

Veja aqui a mini entrevista a Amadeu Albergaria, membro da Comissão Fabriqueira de S. João de Ver.