Opinião: Fascista!!!

Opinião: Fascista!!!

Já tenho a sua atenção?! Ainda bem. O assunto da presente crónica serve para analisar o crescente enviesar do País à esquerda. 

Do resultado das últimas eleições ficou claro uma coisa: Portugal foi e é um País socialista com tiques comunistas. Esse é o traje que País tem vestido, quase, no último meio século.

Resultado – impostos e mais impostos, mas também uma perseguição à direita enquanto ideologia, uma perseguição ao capital e ao lucro, e à iniciativa privada. As fileiras crescentes do Bloco de Esquerda e do PAN causam-me perplexidade. Estes dois partidos são o espelho da popularização da política.

Senão vejamos: O BE é o partido revolucionário que postula um ódio à classe média e alta portuguesa, empunhando um discurso de disseminação ao ódio, à inveja e à demagogia. O estranho deste partido é que nenhum dos seus membros partilha da sua cartilha ideológica. Não vemos nenhum deles (dos (euro)deputados) a partilhar irmãmente o seu ordenado com o povo, não os vemos a partilharem e a calçarem os sapatos do povo; porque já estão acostumados ao luxo do capitalismo… aos pequenos-almoços no Ritz, à especulação imobiliária, à exploração de alojamentos locais, ao uso de marcas capitalistas, (…). 

Afinal, não é este o partido no qual os membros recomendam um voto de pobreza e castidade ao seus seguidores?! Enquanto pastores de tal rebanho esses preferem ver Netflix nos seus ecrãs plasmas e ter iPhones. Fazem-se amigos (da onça) daqueles que passam por dificuldades, porque sabem que as dores dos outros lhes dá votos para continuarem a manter os seus luxos. O perigo do BE é esse mesmo: é esse grito revolucionário mascarado com um objetivo geral de pobreza. Só peço um. Um só exemplo de sucesso das políticas defendidas pelo Bloco! Digam-me! Não há, o facto é que não há. Exemplos falhados das políticas comunistas/bloquistas só preciso de dar um – claríssimo – o caso venezuelano. A política bloquista passa sobretudo por deixar o povo pobre, concentrando toda a produção no estado e eliminando a iniciativa privada (já os fascistas defendiam isto! – Oh diabo! Mas querem ver que o Bloco defende políticas fascistas? Mas então, não são eles que acusam os outros de o ser?!). No meio disto tudo, aqueles que investem na economia vão embora, e os que ficam perdem aquilo que têm. É capaz de imaginar algum partido político arrogar-se dono do seu carro, da sua casa, do seu dinheiro? Não preciso de dizer mais nada pois não?! O perigo do BE é esse mesmo, ficará sem nada porque para aqueles nada é seu. É tudo de toda a gente! E se é tudo de toda a gente vai trabalhar para quê? Para o fruto do seu trabalho ser repartido entre todos. 

Quanto ao PAN, fora o trabalho (confesso que meritório) de defesa de animais e da natureza, o que é defende para o País? Qual a sua posição em termos do eixo económico? Qual a sua posição quanto a políticas estruturais? O que defende para a economia, para a justiça, para a defesa nacional, para a política externa? 

Este é o partido incógnita. Sabe qual é a minha opinião acerca do PAN? Acredito que seja um BE transvertido de verde! E são estes os fenómenos políticos do nosso País! Mas afinal quando é que a classe média, os liberais, a direita anti-socialista e anti-comunista se unem de uma vez e travam esta onda esquerdina que tomou conta do nosso País???!!! Olhe que as eleições estão aí à porta. Não se deixe anestesiar pelas férias.

Está na hora, acordai!

Filho, Esposo, Advogado, Liberal e Desportista. Licenciado e Mestre pela Faculdade de Direito da Universidade de Porto, a exercer advocacia em Lisboa, com forte interesse pelo debate de ideais políticos do País e do Concelho e cidadão de causas e de pessoas.

Daniel Melo | Iniciativa Liberal
Advogado

Notícias Relacionadas