Oleiros montou casa brava para resistir a um Feirense determinado

Oleiros montou casa brava para resistir a um Feirense determinado

• Oleiros e Feirense num embate colossal que acabou com as duas equipas empatadas

Fotos: Ventura

A noite estava propícia, lá fora o porco no espeto dava aroma de festa popular, mas dentro do pavilhão a história era diferente. A casa cheia encheu para receber o vizinho da cidade de Santa Maria da Feira – mas os adeptos de Oleiros fizeram questão de dizer quem estavam a apoiar. Bandeiras, bombos e uma claque excitada enchiam o pavilhão com uma eletricidade impressionante. 

 

O jogo foi equilibrado, viam-se alguns erros na defesa do Oleiros, que eram constantemente compensados pelo seu ataque eficiente. O Feirense resistiu, manteve-se firme e via-se que a equipa estava ligeiramente mais organizada que o anfitrião, líder do campeonato — mas é aqui que entra o peso do apoio das massas. O chinfrim que vinha da bancada era contagiante e nunca cessou ao longo de todo o jogo. 

 

Buzinas, bombos improvisados e adeptos acordavam em cada jogada – um jogo como não via há muito. Assim dá vontade de ver desporto.

O Feirense, lutou até ao fim para assegurar a manutenção na II divisão e conseguiu arrancar um empate (24 – 24) ao líder do campeonato. Hoje tem tarefa difícil no Modicus, esperemos que consiga vencer — porque o andebol concelhio, está bem, recomenda-se e merece estar no plano nacional.

Notícias Relacionadas