Nem os mortos descansam em Argoncilhe

Nem os mortos descansam em Argoncilhe

Vândalos arrancaram as pedras da calçada e arremessaram-nas às sepulturas

• Lajes riscadas, bens partidos e, acima de tudo, um desrespeito profundo pelos que já partiram

O cemitério velho da freguesia de Argoncilhe foi, ontem à noite, alvo de vandalismo – quem o fez arrancou as pedras da calçada e arremessou-as indiscriminadamente às sepulturas. Candeeiros partidos, pedras riscadas e paralelos de calçada espalhados por vários cantos, foi este o cenário encontrado por que quem utiliza o cemitério nas primeiras horas do dia.
O Diário da Feira apurou junto da Comissão Administrativa que esta é uma situação recorrente, nos três cemitérios da freguesia, que passa apenas por “períodos de abrandamento”, sublinhando que o cemitério de Ordonhe é de longe o mais afetado.  
A Comissão Administrativa explica ainda que, há muito, que este nível de vandalismo não se registava, por norma estas atividades passam pelo furto de metais, sobretudo cobre que, em muitos casos, as famílias estão a substituir o metal por materiais de menor valor. Os baldes e vassouras que estão à disposição dos utentes do cemitério também entram nesta equação e todos os furtos obrigam à reposição do ‘stock’.