Imaginarius quer ver a sua imaginação até 31 de outubro

Imaginarius quer ver a sua imaginação até 31 de outubro

Competição internacional Mais Imaginarius aberto a artistas nacionais e internacionais

▌Neste concurso vão ser selecionados 20 candidatos | Foto: Ventura Santos

O Mais Imaginarius abre anualmente para eleger artistas nacionais e internacionais que tenham vontade de divulgar as suas criações em espaço público — o vencedor  recebe um prémio monetário de 5 000 euros para apoiar a criação em residência artística a estrear na edição de 2021 do Imaginarius.  

O Mais Imaginarius é um espaço de experimentação artística no espaço público, permite a participação de diversas linguagens artísticas — irá decorrer de 23 a 31 de maio de 2020 dentro da programação oficial da 20.ª edição do Imaginarius e podem apresentar-se projetos criativos de artistas e companhias nacionais e internacionais, nas disciplinas artísticas de teatro, dança, música, circo, performance, instalação, arte digital, arte urbana e multidisciplinar.

As candidaturas ao Mais Imaginarius deverão ser submetidas, até 31 de outubro, através do preenchimento do formulário disponível em www.imaginarius.pt (clique no link para aceder) e os resultados serão divulgados até 30 de novembro – o vencedor recebe um prémio monetário de 5 000 euros para apoiar a criação em residência artística a estrear na edição de 2021 do Imaginarius.

Das candidaturas apresentadas serão selecionadas 20; avaliadas à posterior por um júri composto por elementos de reputação nacional e internacional, provenientes de instituições académicas, artísticas e culturais.

Todos os participantes selecionados beneficiarão de uma bolsa de apoio para deslocações, alimentação, alojamento, apoio técnico e divulgação dos seus projetos nas redes do festival, bem como a possibilidade de participar e apresentar os seus trabalhos no Imaginarius PRO, marketplace direcionado a programadores e diretores artísticos.

// Clique nos ícones para nos visitar nas redes sociais /

CLIQUE NO SINO VERMELHO EM BAIXO DO LADO DIREITO

SUBSCREVA GRATUITAMENTE

DIGA SIM ÀS NOTIFICAÇÕES DO DIÁRIO DA FEIRA,

E RECEBA AS NOTÍCIAS DE SANTA MARIA DA FEIRA, NA HORA, EM QUALQUER LUGAR

Diário da Feira sempre presente em Argoncilhe, Arrifana, Caldas de São Jorge e Pigeiros, Canedo, Vale, Vila Maior, Escapães, Fiães,  Fornos, Lourosa, Lobão, Gião, Louredo, Guisande Milheirós de Poiares, Mozelos, Nogueira da Regedoura, Paços de Brandão, Rio Meão, Romariz, Sanguedo, Santa Maria da Feira, Travanca, Sanfins, Espargo, Santa Maria de Lamas, São João de Ver, São Miguel do Souto, Mosteirô, São Paio de Oleiros

“Quando não estou a chorar, estou a rezar”

A história de uma visita, do encontro de duas gerações e de como todos podemos ajudar 

▌Alunos da Escola da Cantina visitaram a D. Eugénia, levaram prendas, sorrisos e companhia

Cinco minutos bastaram para perceber a importância deste projeto levado a cabo pela Junta de Freguesia de Stª Maria de Lamas e, sem perguntas, consegui a resposta a todas as minhas questões. “Quando não estou a chorar, estou a rezar”, é este o dia a dia da dona Eugénia, natural de Santa Maria de Lamas, que depois de perder a mobilidade vê a vida por uma janela que só abre quando recebe visitas. 
 
A solidão é um problema escondido das nossas freguesias e quando a testemunhamos é fácil de perceber porquê.  Ao contrário dos buracos das estradas, do lixo no chão, dos cêntimos que deixamos a mais nos parquímetros ou dos animais vadios que vemos nas ruas, este problema não nos atrapalha – porque não o vemos. Fica escondido entre quatro paredes e um telhado, mas é de longe mais grave. Envolve pessoas cuja solidão é tão grande que, tal como a dona Eugénia, pedem para ir para o céu quando se pergunta que sítio gostavam de visitar. 
 
Podia continuar a explicar o que é, de facto, a solidão com palavras de quem a sente até ao ponto de as lágrimas chegarem aos olhos: “dias e dias sozinha”, “saudades do meu filho que morreu”, “gostava de cuidar da minha casa”, “já passei muito, mas tinha a casa cheia de vida”, ou explicar como todos os dias anseia pela visita do vizinho, que apesar de ser de Braga, tem um enorme coração e, sempre que pode, vem a sua casa dar “dois dedos de conversa”. 
 

Mas para demonstrar como é fácil ultrapassar este dilema prefiro contar a história desta visita à D. Eugénia. Visitas que são, de facto, o que ela mais precisa.

Vou falar da Noa, do Francisco, da Inês, do Martin e da Lara, alunos do Jardim de Infância Lamas 3, mais conhecido por escola da Cantina, que, hoje, 29 de maio, levaram “minos, abraços, beijinhos, alegria, amor e uma prenda” a esta santamariana.  Com uma canção de “bom-dia” as crianças apresentaram-se e logo mostraram que vinham de lição bem estudada, todos traziam uma pergunta para fazer: o que mais gostava de fazer quando era criança, se jogava futebol ou quando trabalhava o que fazia. Assim a D. Eugénia começou a contar a sua vida que nos levou a uma viagem no tempo pela alameda das suas memórias. E entre histórias, as crianças pediam para cantar, era justo, porque afinal tinham escolhido cinco músicas para apresentar – uma pausa deliciosa que inevitavelmente restaurava o sorriso na D. Eugénia. 

Visita sem chá e bolinhos não é visita – aqui aprendemos que não podemos recusar – e todos tiveram direita à merenda. 

 

• Meninos do Jardim de Infância Lamas 3 trouxeram vida à casa  

O que os intervenientes disseram

Lucídio Dias | Presidente da junta de Stª Mª de Lamas

O objetivo das visitas é proporcionar alguns momentos de profunda alegria. Procuramos saber quais são as dificuldades, as razões da solidão e do isolamento, se há familiares, se têm apoio e se são visitados por alguma instituição. 

Felizmente, temos algumas instituições que nos ajudam a minimizar este problema. Mais concretamente a Unidade de Saúde, a CERCI e a Associação Bem Estar. 

Santa Maria de Lamas tem obrigação de zelar pelos seus idosos.”

 

Maria João Oliveira | Educadora

“Penso que os idosos estão muito sozinhos e a nossa sociedade não está desperta para isso. Os idosos têm de ser muito mais acompanhados e por vezes as famílias não conseguem garantir essa companhia. Esperamos que ao trazer as crianças os adultos despertem para este problema. Repare na vontade que esta senhora teve em falar e de nos contar as suas histórias. São pequenos projetos como estes que vão ajudar as localidades a solucionar este problema. Isto é um projeto que vai continuar a avançar”

// Clique nos ícones para nos visitar nas redes sociais /

CLIQUE NO SINO VERMELHO EM BAIXO DO LADO DIREITO

SUBSCREVA GRATUITAMENTE

DIGA SIM ÀS NOTIFICAÇÕES DO DIÁRIO DA FEIRA,

E RECEBA AS NOTÍCIAS DE SANTA MARIA DA FEIRA, NA HORA, EM QUALQUER LUGAR

Diário da Feira sempre presente em Argoncilhe, Arrifana, Caldas de São Jorge e Pigeiros, Canedo, Vale, Vila Maior, Escapães, Fiães,  Fornos, Lourosa, Lobão, Gião, Louredo, Guisande Milheirós de Poiares, Mozelos, Nogueira da Regedoura, Paços de Brandão, Rio Meão, Romariz, Sanguedo, Santa Maria da Feira, Travanca, Sanfins, Espargo, Santa Maria de Lamas, São João de Ver, São Miguel do Souto, Mosteirô, São Paio de Oleiros

Notícias Relacionadas