Cristina Tavares venceu a guerra

Cristina Tavares venceu a guerra

A luz ao fundo do túnel – trabalhadora da Fernando Couto vai ser reintegrada e receberá indemnização de 11.000 euros

•  1 de julho é a data escolhida para o reencontro entre funcionária e empresa 

Após uma longa batalha de quase três anos, que dividiu corações e opiniões, Cristina Tavares e a empresa Fernando Couto vão mesmo de trabalhar juntos. 1 de julho é a data escolhida para o reencontro entre funcionária e empresa.  

Foram longos os meses que separaram Cristina e a empresa que a empregava, os desentendimentos datam de janeiro 2017. Na altura as trocas de acusações entre a empresa e a trabalhadora eram frequentes e após ordem judicial para uma primeira reintegração, Cristiana Tavares foi novamente despedida por “comportamentos consubstanciadores da prática de um crime de difamação”.

Para a Fernando Couto, seguiram-se queixas, multas e inspeções. Já Cristina Tavares, viu-se, numa situação difícil que lhe deixou “marcas psicológicas e a nível familiar”, como avança o JN pela mão de Salomão Rodrigues.

A funcionária será reintegrada, no dia 1 de julho, e conforme avança a mesma fonte, direito a uma indemnização, por danos morais,  de 11 mil euros.

 

CLIQUE NO SINO VERMELHO 

SUBSCREVA GRATUITAMENTE ÀS NOTIFICAÇÕES DO DIÁRIO DA FEIRA

Ajude-nos a entregar um jornalismo regional atrevido e sem tabus.

Somos um jornal diário e gratuito para continuarmos o nosso trabalho, precisamos dos seus cliques e da sua subscrição. 

CLIQUE NO SINO VERMELHO, CONFIRME A SUA SUBSCRIÇÃO