A história de uma governanta cuja patroa lhe pediu para casar com o seu marido

A história de uma governanta cuja patroa lhe pediu para casar com o seu marido

Emídio Sousa levou uma fogaça e ficou fascinado com o relato que ouviu 

• Apesar da incerteza de Odília e da oposição inicial dos pais, a governanta acabaria por se casar com o patrão

Esta semana, o Café dos Avôs de Emídio Sousa, Presidente da Câmara da Feira, trouxe-nos a história insólita de uma “jovem” arrifanense que, a pedido da patroa, casou com o patrão. Aos 83 anos, feitos no dia de S. João, Maria Odília Guerra folheou as páginas da sua história e contou ao presidente como foi apanhada pelo radar do amor.´

 

 

Com um discurso contagiante, a octogenária explicou que há muitos anos trabalhava como governante e quando a sua patroa adoeceu, chamou-a no leito de morte e endereçou-lhe um pedido especial: 

“Odília, quero que me prometas que casas com o meu Chico”

 A morte sendo um dos maiores mistérios da vida traz histórias caricatas e, pelos vistos, o mesmo pedido já tinha sido endereçado ao marido. Apesar da incerteza de Odília e da oposição inicial dos pais, a governanta acabaria por se casar com o patrão e assumir os dois filhos que agora também são seus.

 

 

O marido morreu há 21 anos, mas esta história de amor gerou uma prole que continua a crescer, “dois filhos da barriga e dois do coração”, sete netos e, recentemente, a chegada do bisneto Santiago. 

Maria Odília Guerra recebeu de braços abertos e sorriso no rosto o presidente da Câmara —  não faltou uma mesa recheada de padas, marmelada e a habitual fogaça quentinha levada pelo autarca.

CLIQUE NO SINO VERMELHO 

SUBSCREVA GRATUITAMENTE ÀS NOTIFICAÇÕES DO DIÁRIO DA FEIRA

Ajude-nos a entregar um jornalismo regional atrevido e sem tabus.

Somos um jornal diário e gratuito para sobreviver  precisamos dos seus cliques e da sua subscrição. 

CLIQUE NO SINO VERMELHO, CONFIRME A SUA SUBSCRIÇÃO