Câmara ao lado dos produtores de regueifa doce que “continuam a sentir os efeitos devastadores da pandemia”

Câmara ao lado dos produtores de regueifa doce que “continuam a sentir os efeitos devastadores da pandemia”

Uma de várias ações de promoção da Regueifa Doce de forma de apoiar os produtores

▌Foto: DR/PD

A tradição da Regueifa Doce continua muito enraizada nas freguesias do norte do concelho de Santa Maria da Feira, mas os produtores deste afamado pão doce da Páscoa encontram-se dispersos por todo o território feirense. A Câmara Municipal fez um levantamento das casas de fabrico desta iguaria gastronómica e disponibilizou uma lista de produtores – em permanente atualização – no site oficial do município (www.cm-feira.pt, separador Turismo).

Esta é apenas uma de várias ações de promoção da Regueifa Doce concretizadas pela Câmara Municipal nas duas semanas anteriores à Páscoa, como forma de apoiar os produtores, que segundo o muncipio “continuam a sentir os efeitos devastadores da pandemia”, e de levar mais longe este produto gastronómico de excelência, com grande tradição no concelho, em particular na altura da Páscoa.

Tendo como ponto de partida o contacto com as padarias e pastelarias registadas na plataforma Bizfeira, e os membros do Agrupamento de Produtores de Fogaça da Feira, foram identificados, numa primeira fase, cerca de meia centena de produtores de Regueifa Doce, de 18 freguesias do concelho. A Câmara Municipal continua inteiramente disponível para atualizar esta lista em construção, bastando que os produtores interessados contactem o Gabinete de Turismo, através do email gab.turismo@cm-feira.pt ou telefone 256 370 802, disponibilizando os dados necessários à respetiva divulgação.

O fabrico da Regueifa Doce está fortemente associado à quadra pascal em Santa Maria da Feira, pois noutros tempos, em que o pão de ló era um luxo e coisa rara, porventura de acesso apenas a casas de famílias mais abastadas, a Regueifa Doce era uma iguaria de excelência para a maioria dos feirense.

Manda a tradição que, por altura da Páscoa, as matriarcas cozam uma fornada de Regueifa Doce para distribuir pela família, em especial pelos filhos e afilhados. Ainda hoje assim acontece em muitas freguesias. Mas é nas padarias e pastelarias de todo o concelho que a maioria dos feirenses e apreciadores de municípios vizinhos compram este pão doce para a sua mesa de Páscoa ou para oferecer como “folar” aos familiares e amigos.

A Regueifa Doce pode ser acompanhada com manteiga, queijo, presunto, compota ou mesmo azeitonas e regada com vinho tinto ou vinho do Porto, mas há quem a aprecie com chá, café ou cevada. Este pão doce mantém o sabor e a qualidade mesmo com vários dias, continuando apetecível quando torrada.

Leia ainda
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 2.097.276