Zoo de Lourosa na linha da frente para proteger espécie de Calau

Zoo de Lourosa na linha da frente para proteger espécie de Calau 

Zoo está a coordenar programa internacional de conservação de Calau de Casco Cinzento

▌Foto: DR/PD

O Zoo de Lourosa está a coordenar o programa europeu de conservação do Calau Casco Cinzento (Ceratogymna atrata), cuja situação em habitat natural é pouco conhecida.

Como instituição Zoológica e membro das principais Associações de Zoos e Aquários, o Zoo de Lourosa participa em diversos Programas Internacionais de Conservação/Programas de Reprodução em Cativeiro. 

Dentro da EAZA (European Association of Zoos and Aquaria), existem os designados EEP’s (European Endagered Species Programme) e os ESB’s (European Studbook).

Cada um destes programas é gerido por um coordenador de um Zoo membro da associação. Os EEP’s são programas reprodutivos mais intensos, nos quais ao coordenador cabe-lhe a missão de reunir e partilhar a informação dos Zoos membros, e efetuar, entre outros, análises demográficas e genéticas, bem como elaborar recomendações para a gestão futura da espécie.

Estes programas são criados quando há necessidade de se fazer o controlo e acompanhamento mais exaustivo de uma determinada espécie, como aconteceu agora com o Calau de Casco Cinzento, cuja situação em habitat natural é pouco conhecida.

Dentro da EAZA existem 31 aves desta espécie em cativeiro, em 11 Zoos, sendo que poucos têm conseguido a sua reprodução. Como o Zoo de Lourosa é dos poucos Zoos a nível mundial a ter sucesso reprodutivo- saliente-se que em 2009 foi o primeiro Zoo da EAZA a consegui-lo e que nasceram duas crias da espécie em 2020 – e que a curadora do Zoo de Lourosa, Andreia Pinto, já estava a fazer a monitorização da espécie, foi proposto, com a criação deste EEP, que passasse ela a fazer a coordenação do programa, nomeação esta que foi aceite pelo Comité EEP.

Acrescenta-se que em 2016, e na sequência da proposta efetuada ao Comité Científico da EAZA, a curadora do Zoo de Lourosa passa a fazer a coordenação do ESB do Urubu rei (Sarcorhamphus papa), fazendo a gestão de mais de 45 casais desta espécie, distribuídos por zoos de toda a Europa. Aliás, é nesta altura também que se começa a monitorizar os treze Calaus de Casco Cinzento existentes em seis Zoos membros.

Para além deste, o Zoo de Lourosa tem na sua coleção mais sete espécies de Calaus – o Calau de Decken, o Calau bicorne, o Calau enrugado, o Calau de faces prateadas, o Calau terrestre, o Calau rinoceronte e o Calau trompeteiro.

Este não é o unico programa de conservação que O Zoo de Lourosa participa, de facto esta instituição participa em mais 39 Programas Internacionais de Conservação:

– 15 espécies de EEP’s (ex. Maina de Bali (Leucopsar rothschildi) e Grou do Japão (Grus japonensis);

– 18 espécies de ESB’s (ex. Faisão Argus (Argusianus argus) e Faisão de Rothschild (Polyplectron inopinatum) ;

– 1 Studbook Internacional (Mutum de bico azul (Crax alberti);

– 5 monitorizações (ex. Tinamu de asa vermelha (Rhynchotus rufescens) e Ibis escarlate (Eudocimus ruber).

Grande parte das espécies que ingressam no Zoo de Lourosa são o resultado de doações ou trocas com outras instituições zoológicas nacionais, ou estrangeiras, sendo que muitas destas espécies participam em Programas Internacionais de Conservação.

Leia ainda
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 2.050.808