S. João de Ver cai no prolongamento e diz adeus à Taça de Portugal

S. João de Ver cai no prolongamento e diz adeus à Taça de Portugal

Garra dos malapeiros não impediu derrota 

▌Arquivo DF

Jogo aguardado com grande expectativa até pelos últimos resultados do S. João de Ver quer na taça, quer  no campeonato.

Primeira parte bola cá bola lá com maior domínio de S. João de Ver e o Marinhense sempre que necessário e útil a recorrer à falta para suster as investidas contrárias o nulo era o espelho fiel do jogo nos primeiros 45 minutos.

No segundo período os malapeiros foram mais atrevidos e deram maiores sinais de querer resolver a eliminatória a seu favor. 

Mas o jogo continuava quezilento no miolo e sem chegar com perigo às balizas embora os homens de Ricardo Maia fizessem mais pela vitória. 

Em cima dos 90 minutos o número 2 Marinhense vê o segundo amarelo e obriga a sua equipa a jogar com 10 o resto da partida.

Estava facilitada a vida dos homens da casa que reatado o jogo para prolongamento começava a asfixiar o Marinhense que não sair da sua área até que um erro infantil de um defesa da casa coloca a bola nos pés do avançado vidreiro e obrigou um colega a travá-lo em falta  quando se dirigia isolado para a baliza.

Vermelho e cada equipa ficou com 10 elementos em campo o que permitiu ao Marinhense sair lá de trás e equilibrar a partida a segunda parte do prolongamento foi toda do S. João de Ver que encurralou o adversário na sua área até que um atleta da casa é derrubado na área de rigor dando origem a grande penalidade que permitiu a defesa de Jair Mosquera.

Foi este o último lance do jogo dando origem a uma explosão de alegria aos homens da Marinha Grande.

Resultado inglório e até injusto para o S. João de Ver que por tudo o que fez merecia ter passado a eliminatória, mas em futebol o que conta é o resultado.

Leia ainda
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 1.994.120