8 km de passadiço irá unir Sanguedo, Lobão, Fiães, S. Jorge e Pigeiros

8 km de passadiço irá unir Sanguedo, Lobão, Fiães, S. Jorge e Pigeiros 

Um investimento municipal desta fase de construção ascende os 675 000 euros

▌ | Foto: DR

 

Arrancou a  terceira fase da Requalificação Ambiental das Margens do Rio Uíma, e no local Emídio Sousa e os presidentes da junta de Fiães, União de Freguesias de Caldas de S. Jorge e Pigeiros e da União das Freguesias de Lobão, Gião, Louredo e Guisande estiveram, em Lobão, presentes para assistir ao início dos trabalhos.

Com um investimento superior a 675 mil euros esta fase de reabilitação vai ligar Lobão às Caldas de S. Jorge, e pretende-se que o trecho com cerca de três quilómetros fique pronto dentro de um ano.

No entanto, a Requalificação Ambiental das Margens do Rio Uíma é uma obra multifaseada que tem como objetivo a reabilitação de todo o percurso do rio Uíma.

No futuro, quando concluídas todas as fases de reabilitação, o passadiço vai ter cerca de oito quilómetros de extensão. De uma ponta à outra, vai ligar a Ponte da Tabuaça, em Sanguedo, à Varzea, em  Pigeiros, e pelo meio vai poder calcorrear as freguesias de Fiães, Lobão e Caldas de S. Jorge.

Durante a visita Emídio Sousa classificou este trecho como “um espaço aprazível, com forte potencial”, e o autarca não tem dúvidas que este será mais um ponto de “atração para o nosso território.”

 

Os espinhos na margem


A visita da obra seria uma celebração da natureza, no entanto, o edil foi surpreendido por um “corte total das árvores numa parcela de terreno junto ao rio”.

Foi o próprio Emídio Sousa a documentar este corte de árvores e, no final, levou a sua indignação às redes sociais – sublinhou ainda que participou o sucedido ao SPENA (Serviço de Proteção da Natureza da GNR), e lamentou esta perda de árvores sublinhado que a floresta vai “demorar alguns anos a recuperar”.

Leia ainda
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 2.097.276