Atletismo: Caldas de volta e em forma – cinco atletas ganham sete pódios em Vagos

Atletismo: Caldas de volta e em forma – cinco atletas ganham sete pódios em Vagos

Caldenses disputaram a primeira competição em quatro meses

 

A direção do Caldas Atletismo não esconde o orgulho na “retoma irrepreensível do Caldas de S.Jorge à competição”, o Estádio Municipal de Vagos recebeu apenas cinco atletas dos Caldas, mas estes não deixaram de escrever mais uma página na história do clube e trouxeram para casa sete títulos

Depois de quatro meses sem competições devido à pandemia, realizou-se, nos dias 4 e 5 de julho, na Pista de Atletismo do Estádio Municipal de Vagos o Campeonato Distrital de Juvenis.

A Covid-19 mudou completamente a forma como se treina, mas como explica a direção do Caldas Atletismo, “a vontade e o gostar da modalidade” levaram a equipa a a manter “sempre uma forma mínima, apesar de todas as limitações” com treinos adaptados que impunham condições de segurança para os atletas.

Foram estas condições, em conjunto com as novas regras e orientações da Direção-geral de Saúde e a Federação Portuguesa de Atletismo que se regressou à competição, o Caldas arrasou e conquistar sete pódios com apenas cinco atletas, sendo dois deles iniciados.

Dos 22 clubes presentes, o Caldas foi dos clubes com mais títulos e o melhor do Município da Feira.

Destaque para Gustavo Ribeiro que se sagrou Campeão Distrital dos 100 m batendo inclusive o seu recorde pessoal. 

Beatriz Valente também está de parabéns, a jovem caldense já não consegue participar numa competição sem pisar o pódio e sagrou-se Vice-Campeã Distrital em 1500 m.  

O Caldas arrecadou ainda mais cinco títulos de Bronze Distrital que foram para Gustavo Ribeiro que nos 300 m também estilhaçou o seu recorde pessoal, Bruno Rodrigues em 100 m, Gonçalo Azevedo em salto em comprimento, Rui Pinto em disco por equipas em Masculinos.

 

A direção do clube tem consciência que esta pandemia “mudou a vida” e a retoma da atividade desportiva está muito condicionada “pelas novas regras da DGS” “para que tudo possa voltar à normalidade sem retrocesso.”

No entanto, o clube sublinha que “existem outras limitações” causadas pela “falta de regulação e autorização das entidades locais (Câmara da Feira e União de Freguesias Caldas de São Jorge e Pigeiros)”.

Para o Caldas Atletismo estas limitações “são desnecessárias e impedem os atletas de treinarem em espaços próprios que continuam fechados”.

Uma situação que a direção do Caldas vê com alguma injustiça alegando que há outros espaços “abertos sem cumprimentos das regras com conhecimento e autorização das mesmas entidades” deixando claro que, não obstante das dificuldades, “sem condições e esquecidos. O Caldas de S.Jorge continua a mostrar-se empenhado, raça, força e resultados, mas exige respeito e igualdade.”

 
Leia ainda
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 1.995.898