Escapães: PS e executivo da junta de freguesia em guerra de “contas”

Escapães: PS e executivo da junta de freguesia em guerra de “contas”

PS quer intervenção do Tribunal de Contas, junta apresenta resposta do mesmo

▌Erros no documento inicial de Saldos de Gerência levam a guerra de palavras | Foto: DR

O Partido Socialista de Escapães não aceita as contas da Junta de Freguesia: alega falta de transparência e uma possível “ilegalidade” – por isso pede a intervenção do Tribunal de Contas; por sua vez, o executivo reconheceu “a existência de erros nos Saldos de Gerência”, mas avança documento do próprio TC que afiança não prever “realizar diligências adicionais”

O Partido Socialista (PS), principal partido da oposição em Escapães, não está conformado com a “consistência nem continuidade nos saldos dos fluxos de caixa e dos saldos da gerência” nas contas da junta de freguesia de Escapães (JFE), apontando “vários erros e omissões”. 

Erros que levaram este partido a não aprovar “a prestação de contas do ano de 2018 na Assembleia de Freguesia de Escapães”.

A Junta de Freguesia não nega terem acontecido erros e lembra que estes foram “reconhecidos em Assembleia de Freguesia, pelo Tesoureiro”, justificando a sua causa num “erro de processamento informático de passagem de ano”.

Lembra ainda que foi realizada uma “Assembleia Extraordinária com o fim de ratificar os erros ocorridos no documento inicial.”

A oposição, no entanto, acusa o executivo da JFE de falta de transparência – lembrando que pediram os documentos enviados pelo executivo para o Tribunal de Contas (TC), em 2018 alegando que a Presidente de Junta e o Tesoureiro negaram “a entrega de quaisquer cópias de tais documentos”.

Os membros do PS terão então analisado os “documentos de forma presencial” e asseguram que quando comparados “com os (documentos) levados a discussão e aprovação na Assembleia de Freguesia, verificam que não serão os mesmos” – o que para o grupo socialista de Escapães poderá ser sinal de “uma ilegalidade”.

Carlos Rocha, líder do PS de Escapães quer “a verdade nas contas da freguesia” e sublinha que “o executivo da Junta de Escapães apresenta as contas, sempre com números diferentes e sem rigor.” O socialista escapanense defende ainda “uma maior transparência na gestão da junta.”

 

Agora o PS quer a intervenção do TC para “apurar a verdade dentro das suas competências,” – o executivo escapanense, por sua vez, relembra que já “foram prestados todos os esclarecimentos ao Tribunal de Contas”.

O executivo vai mais longe e avança com a resposta à denúncia feita no TC “que após análise dos esclarecimentos prestados” não encontrou motivos para quaisquer diligências.

 

A Junta de Freguesia de Escapães não aceita o rotulo de má gestão dado pelo PS e sublinha que “não abdica do rigor na gestão financeira dos parcos dinheiros da Freguesia, nem tenciona hipotecar futuros Executivos que tomem os destinos da Freguesia.”

A terminar, o executivo escapanense, ironiza a postura da oposição e deixa no ar que “no separador da Lista de Faturas Por Pagar, uma página em branco, incomoda muita gente.”

Leia ainda
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 1.912.796