Zoo de Lourosa reabre e dá as boas-vindas ao novos habitantes

Zoo de Lourosa reabre e dá as boas-vindas ao novos habitantes

As crias que nasceram durante a pandemia são as estrelas da reabertura 

▌As catatuas Galah são algumas das "novidades" que pode ver no Zoo | Foto: Zoo Lourosa/Feira Viva

O único parque ornitológico do país reabriu as portas repleto de novidades para os visitantes — ao revisitar este espaço ao ar livre, onde a natureza é rainha, irá conhecer os bebés de muitas espécies. 

A vida não parou e no Parque Ornitológico de Lourosa a natureza tomou o seu curso em silêncio e transformou as últimas semanas numa das melhores épocas reprodutivas de sempre. 

Há crias da Catatua Galah (Eolophus roseicapillus), do Papagaio eclético (Ecletus roratus), do Pombo imperador (Ducula bicolor), da Íbis escarlate (Eudocimus ruber), da Kookaburra risonha (Dacelo novaeguineae), da Cegonha branca (Ciconia ciconia) e do Turaco de faces brancas (Tauraco leucotis). 

Alguns bebés ainda estão dentro do ninho, enquanto outros já percorrem a instalação atrás dos progenitores.

Este ano o Zoo de Lourosa assiste pela primeira vez ao nascimento de quatro crias de Avefria militar (Vanellus miles) e à nidificação da Ave martelo (Scopus umbretta) e da Cegonha de Abdim (Ciconia abdimii). 

E é com grande expetativa que se aguardam os nascimentos de mais algumas aves, nomeadamente Grous do Japão (Grus japonensis), Cisnes de pescoço preto (Cygnus melanocoryphus), Coruja de lunetas (Pulsatrix perspicillata) e várias espécies de faisões.

As novidades não ficam por aqui e o Zoo de Lourosa tem duas novas espécies para apresentar. São elas o Nandu de Darwin (Rhea pennata) e o Jabiru africano (Ephippiorhynchus senegalensis), aves estas que chegaram ao parque no início do ano no âmbito dos programas reprodutivos da Associação Europeia de Zoos.

PUB

Leia ainda
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 1.973.192