Rubrica | Saúde Mental em Crise Pandémica

Rubrica | Saúde Mental em Crise Pandémica

De modo a mitigar os efeitos da crise pandémica, um sem número de alterações foram introduzidas ao nosso dia-a-dia alterando o modo como trabalhamos, a nossa interação social e, até algo tão simples, como, ir às compras. Estas alterações ocorreram num curto espaço de tempo, o que representa um desafio adicional para a saúde mental. É, por isso, comum que sintamos ansiedade, medo, preocupação, injustiça, raiva, frustração e vulnerabilidade. Neste sentido, impõem-se a pergunta: O que devemos fazer?

    • Cumpra todas as medidas de proteção

Para além da importância do cumprimento das medidas em vigor, zelando pela sua saúde e da daqueles que lhe são próximos, o seu cumprimento contribuirá para que se sinta mais seguro e protegido. Contudo, é importante que não entre em exageros, como, por exemplo, o aumento da frequência de lavagem das mãos (5 em 5 minutos). Medidas adicionais que ultrapassem as recomendações da DGS de nada servem, podendo conduzir ao aumento dos níveis de ansiedade.

    • Mantenha-se corretamente informado

O acesso à informação deve ser feito de forma doseada, isto é, deve limitar o consumo da mesma e deve procurar informação verdadeira, útil e de fontes credíveis. Foque-se na informação oficial fornecida pelas autoridades de saúde (p.ex: boletim diário da DGS) e nas boas notícias pois estas também existem. Isto é fundamental para não exacerbar sentimentos de ansiedade e medo.

    • Concentre-se naquilo que pode controlar

Foque-se naquilo que pode controlar, ou seja, na sua rotina diária. Estabeleça uma rotina e esforce-se ao máximo para a cumprir. Rotinas bem definidas são particularmente importantes se tiver crianças e/ou adolescentes em casa, sendo especialmente importante que se mantenham horas de sono regulares. Aproveite para terminar ou iniciar um projeto que sempre quis realizar, e para melhorar a sua saúde através da adoção de hábitos alimentares mais saudáveis e da prática de exercício físico.

    • Evite Pensamentos Negativos

Os pensamentos negativos devem ser contrapostos por alternativas mais favoráveis tendo em conta que estes representam apenas possibilidades e não a realidade. Por exemplo, o pensamento «vou ficar doente e a minha família também», deve ser contraposto por «há uma possibilidade de ficar doente mas, estou a tomar todas as medidas necessárias e atento aos sinais». É importante que não antecipe cenários futuros negativos pois, muitas vezes, estes não correspondem à realidade.

    • Cuide de Si

Cuidar de si não significa negligenciar atividades que necessitam de ser realizadas, mas sim encontrar tempo para dedicar a coisas que lhe são prazerosas, o que é essencial para diminuir os sentimentos negativos. Mantenha os contactos sociais recorrendo às redes sociais e tente adotar uma atitude positiva. Acomodar tempos de lazer e de interação social é fundamental para aqueles que se encontram a trabalhar, de modo a evitar o excesso de trabalho e permitir espaços para restabelecer energias.

    • Esteja atento!

Mantenha-se atento ao seu estado emocional e caso tenha pensamentos negativos recorrentes, sinta alteração nos seus hábitos alimentares e de sono, perca o interesse por tarefas que antes lhe eram prazerosas, tiver sentimentos de tristeza, frustração, zanga ou irritabilidade incontroláveis ou constantes, procure apoio psicológico.

Natural de Mozelos, Mestre em Psicologia Clínica e da Saúde (Universidade de Aveiro)
Clique aqui para seguir o seu Facebook
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 1.904.997
    ☕️ Antes de ir embora:

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.