Márcio Correia vê no edifício do ISPAB uma “oportunidade única” para o concelho

Márcio Correia vê no edifício do ISPAB uma “oportunidade única” para o concelho

“As duas escolas públicas existentes no concelho, Fiães e S. M. da Feira, são insuficientes”

▌Márcio Correia quer o edifício com aplicação académica | Foto: Ilustração / Marcio Correia

A Comissão Política Concelhia do Partido Socialista da Feira reagiu ao encerramento do Instituto Superior de Paços de Brandão (ISPAB) — lamenta a notícia e propõe a readaptação do edifício “para que nele seja instalado uma nova escola secundária”.

Ao lamentar o encerramento do ISPAB, Márcio Correia, presidente da Comissão Política Concelhia do PS Feira, recorda o “extraordinário e respeitável esforço por parte da Associação Fundação para o Desenvolvimento de Paços de Brandão para evitar este desfecho — consumada “a triste notícia”, o líder socialista no concelho  antecipa novas possibilidades para o edificado existente.

Márcio Correia refere que “as duas escolas públicas existentes no concelho, Fiães e S. M. da Feira, são insuficientes” e, ano após ano, esta carência obriga “centenas alunos do nosso concelho em frequentar escolas secundárias em concelhos vizinhos”.

O presidente socialista explica a decisão face às caraterísticas do edifício que “dispõe de instalações apropriadas, com laboratórios de especialidade, como química ou fotografia, reprografia, bar, serviços administrativos, auditório e cerca de 16 salas de aula, podendo com algumas alterações aumentar a capacidade”.

Este edifício é para Márcio Correia, uma “alternativa viável”, “sem necessidade de grande investimento por parte do Ministério da Educação” e uma resposta a uma “ambição concelhia” que data 2005 e prevê “a instalação de uma estrutura de ensino secundário em Paços de Brandão”.

Esta readaptação é por isso “uma oportunidade única para um concelho e uma forte melhoria na oferta pública de educação”, que evitava a deslocação dos alunos da Feira  para concelhos vizinhos como Espinho ou Gaia e as dificuldades inerentes à utilização de transportes urbanos. 

PUB – ARTIGO CONTINUA EM BAIXO

O PS entende que a decisão deverá ser célere e relembra que a direção do agrupamento de escolas de Paços de Brandão já “deu parecer positivo à possibilidade de abertura de duas turmas em 2020/21” e numa primeira fase “a ideia é formar duas turmas do décimo ano para depois dar corpo ao décimo-primeiro e décimo-segundo ano, com sustentabilidade”.

Por estas razões, Márcio Correia, entende que a autarquia “deve agarrar esta oportunidade” e “deve assegurar eventualmente o custo das obras que serão necessárias, para não estar dependente de verbas do Governo, e não haver demoras e entraves”.

Postura que, como afirma o líder socialista, não dará ao Ministério da Educação “grandes motivos para não consentir uma nova escola secundária em Paços de Brandão, Santa Maria da Feira”.

Leia ainda
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 2.099.279