Quinta da Murtosa em Mosteirô proposta para Monumento de Interesse Público

Quinta da Murtosa em Mosteirô proposta para Monumento de Interesse Público

O edifício construído em 1780 foi visitado por Eça de Queiroz

▌A quinta foi construída em 1870 e enverga o brasão da família Correia | Foto: DR

Eça não só visitou a quinta como a menciona na obra “Ilustre Casa de Ramires” — hoje, no Diário da República, foi divulgada a proposta para a transformar em Monumento de Interesse Público.

Construída por volta de 1780 não se conhece o nome por detrás da construção original, sabe-se, no entanto, que sempre pertenceu à família Correia que ostenta o seu escudo de armas à entrada do portal da capela da residência principal.

A família Correia acrescentou ao imóvel uma história invejável: ali nasceram grandes nomes da história portuguesa, entre eles Vicente Correia de Sousa Brandão juiz de Coimbra (veja aqui quem é) e o general Francisco Maria de Sousa Brandão (clique aqui para conhecer este ilustre da história feirense).

A história mais curiosa é, no entanto, a sua participação no romance “A Ilustre Casa de Ramires” de Eça de Queirós que, por volta de 1900, a terá visitado — sem que se conheça o motivo desta visita. 

Em 2020, a Quinta da família Correia faz de novo história com a proposta de elevação a monumento de interesse público pela Direção-Geral do Património Cultural no Diário da república (pode consultar AQUI).

O anúncio chega no seguimento do parecer positivo que a Secção do Património Arquitetónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura deu a 13 de novembro de 2019 em relação à classificação deste marco histórico de Mosteirô.

Após a publicação, as entidades com eventuais interesses na classificação da quinta têm 15 dias para remeter à Direção Regional de Cultura do Norte as suas dúvidas. 

Leia ainda
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 2.097.284