Viril e fantástico: casa encheu para ver o Florgrade – Lobão ​​

Viril e fantástico: casa encheu para ver o Florgrade - Lobão

Grande jogo de futebol com bancadas cheias e coloridas

▌Florgrade recebeu o Lobão em casa

Estádio cheiinho no Buçaquinho e não era caso para menos — Florgrade e Lobão defrontavam-se na luta pelos primeiros lugares e dentro do campo não se defraudaram as expetativas. O jogo foi disputado a palmo e com vivacidade repartida, dominou a Florgrade na primeira parte, retificou o Lobão na segunda, chegando ao empate.   

Texto: A. Ferreira | Fotos: Ventura Santos

Florgrade – 1

 

ADC Lobão – 1

 

Árbitro: Fábio Melo

Estádio Parque Do Buçaquinho

Florgrade FC: Rui Pedro, Marcelo, Zé Carlos, Joca, Rena, Edu, André Silva, Nuno Fruta, Gomes, Guerra e André Ribeiro. Suplentes: Kelvin, Pringle, David, Mota, Xavi, Quirino e Capela. Golo:   Treinador: Baptista.  

Lobão: Vitinha, Santos, Grilo, Manuel, Neves, Pardal, Monteiro, Pinheiro, Cristophe, Zé Mota e Antunes. Suplentes: Tiago, Carlos Mota, Diogo, Joca, Xavi, Serginho e Joel.  Golo:  Treinador: Eusébio.  Parque Do Buçaquinho

Pés no relvado e espíritos preocupados para ambas as equipas — para a Florgrade a vitória cimentava o primeiro lugar, para os lobonenses encurtava a distância ao primeiro lugar.

Ao segundo minuto de jogo o Florgrade já beneficiava de um pontapé de canto do qual nada resultou, mas o clube da casa cedo deu a entender que se iria impor e ao Lobão nada mais restou que travar as investidas da casa serviu-se de alguma dureza. Nos minutos iniciais, o árbitro guardou os cartões e optou pelos avisos como medida preventiva num encontro que prometia tropelias — bancada cheia de parte a parte, a do Lobão sempre mais ruidosa, onde sobressaia o reforço policial.    

Aos 5′ minutos o Lobão tem uma entrada à margem da lei, mas vê a situação passar com uma simples advertência.

Na jogada seguinte, Marcelo do Florgrade entra com tudo e quando se esperava por nova advertência verbal, o árbitro saca do primeiro amarelo da partida.

▌Zé Carlos, Florgrade, tenta sacudir a bola do ataque Lobanense

A equipa da casa impunha uma toada mais atacante e, aos 24′ minutos, André Ribeiro, sempre irrequieto, trabalha bem pela direita, e, num centro de boa execução, faz chegar a bola a Edu que com um belo remate falha por pouco o alvo.

A Florgrade somava lances de má sorte — da execução de um livre, aos 25′ minutos, surge um bom golpe de cabeça de Guerra para a defesa incompleta de Vitinha à qual André Ribeiro responde já de ângulo difícil, mas sem conseguir o golo.

Do outro lado, o Lobão também espreitava o ataque embora se preocupasse em povoar mais a sua defensiva e o meio-campo, tentando tirar proveito dos lances de bola parada às quais o Florgrade se opôs sempre.

Com as equipas a controlarem-se e encaixadas uma na outra, sobrava André Ribeiro — sempre a dar muito trabalho à defesa do Lobão que se obrigava a recorrer à falta para travar o adversário.

▌Todos os setores foram palco de disputas acesas de bola

O primeiro caso do encontro surge da marcação de um livre e consecutivo cabeceamento do avançado da casa travado pela mão do jogador do Lobão — ficou no ar a possibilidade de uma grande penalidade e dos protestos resultou o cartão amarelo para um elemento do banco do Florgrade.

Aos 37′ minutos a inquietude de André Ribeiro volta a originar castigo — o derrube grosseiro do jogador da casa mereceu novo amarelo, desta vez para o Lobão.

No minuto a seguir, Rena centra da direita e no coração da área aparece Guerra que com uma entrada fulgurante faz o primeiro golo da partida. Chegava-se ao intervalo com a vantagem para o Florgrade — resultado justificado e merecido face à superioridade do onze da casa. 

O jogo recomeçou e logo aos 48′ minutos, novo derrube a André Ribeiro e mais um amarelo para o adversário. 

Com a sanção disciplinar renascia o Lobão e os pupilos de Eusébio mostraram que vinham de lição estudada. Menos faltosos, os homens do Lobão substituiriam a virilidade pela astúcia e começavam a chegar com mais facilidade e mais homens à área adversária — foram várias as vezes que obrigaram a atrasar para o guarda-redes por não conseguirem arranjar linhas de passe.

O Lobão começava a ser superior e advinha-se o empate que surgiu aos 65′ minutos numa jogada com troca de bola muito consentida, ficou a ideia que o redes da casa podia ter feito melhor.

▌Casa cheia e ruídosa embalada pelo fluxo do jogo

O Florgrade acusou muito o empate, perdeu serenidade e concentração, cometendo faltas sucessivas que transpareciam ansiedade — o Lobão aproveitou e empurrou o adversário para o seu meio-campo, de onde o Florgrade saíu sempre aos repelões e sem conseguir criar perigo.

Até ao final assistiu-se a um concerto de apitos e abanar de cartões, onde sobressai o cartão vermelho ao guarda-redes suplemente do Lobão por pontapear a bola, impedindo o lançamento da linha lateral.

▌O Lobão não caiu e continua em perseguição ao topo da tabela

Grande jogo de futebol e bancadas coloridamente preenchidas para não faltar nada — o Florgrade perseguia o primeiro lugar, o Lobão os pontos, necessidades que culminaram num magnífico espetáculo de futebol, enriquecido de garra e belíssimos primores técnicos. 

No final, os ‘misters’ partilharam da mesma opinião —  Baptista e Eusébio salientaram um Florgrade determinado e sereno que ao intervalo justificava a vitória. Na segunda parte, um Lobão transfigurado, impecável nas movimentações, com um atrevimento legítimo face ao nervosismo da casa, assegurou um empate merecido. 

Leia ainda
PUB - Clique no anúncio para aceder ao Facebook do Restaurante Piscinas de Lourosa
👁️‍🗨️ Você é o leitor DF número
  • 1.962.804

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.