S. João de Ver vence União de Lamas e pisca o olho ao Campeonato de Portugal

S. João de Ver vence União de Lamas e pisca o olho ao Campeonato de Portugal

Malapeiros cimentam primeiro lugar com vitória larga sobre os unionistas

▌Jogo disputado, com dois candidatos à subida

Texto: A. Ferreira  | Fotos: Ventura Santos

União de Lamas – 1

S. João de Ver – 4

União de Lamas e S. João de Ver, primeiro e segundo classificados, do Campeonato Sabseg defrontaram-se e facto é que o encontro deu razão aos que apontam o S. João de Ver como o candidato natural à subida. Do lado da casa, o União de Lamas acusou a falta de Joel.    

Estádio Comendador Henrique Amorim  | Árbitro: Tiago Fernandes

 

União de Lamas: Ayoub (Xavi Ferreira, 84′), Davi, Grando, Sanguedo, António Alves (Kaou Fabril, 72′), Belinha, Diogo, Souza (Vitinha, 75′), Jair, Balla e Joca. Treinador: Ricardo Nascimento. Golo: Jair 45’+3′ 

S. João de Ver: Nuno Dias, Aranha, Nuno M., Rui Silva, Roger, Edu Marques, Joaozinho, Óscar, Alex Brandão (Chapinha, 70′), Alex e Zé António (Vando, 85′). Treinador: Ricardo Maia. Golos: Óscar Brandão 38′, Alex Brandão 42′, Zé António 50′ e 65′.

Boa moldura humana ou não estivesse em confronto primeiro e segundo classificados do Campeonato Sabseg; os primeiros dez minutos de jogo foram de estudo mútuo, com o União de Lamas a dar sinais de alguma insegurança na defesa — talvez, a notar-se a falta do capitão Joel.
 
Aos dez minutos, numa reposição rápida por parte do guarda-redes do S. João de Ver o dianteiro malapeiro aparece na cara do guarda-redes da casa — do choque resulta um penálti para o S. João de Ver; na marcação superiorizou-se o guarda-redes lamacense que efetuou uma grande defesa.

Com o passar do relógio, acentuava-se cada vez mais a insegurança defensiva da casa que pecava em organizar-se de trás para a frente — o primeiro objetivo era limpar a zona, mas faltava depois a construção. O meio-campo do União de Lamas não funcionava, a bola saia da defesa aos repelões e quando chegava à frente era controlada pelo S. João Ver.
 
Por seu lado, os homens de Ricardo Maia, colocavam a bola mais no chão e chegavam com mais perigo à baliza contrária, tomando aos poucos conta do jogo — o lado esquerdo da defesa lamacense foi sempre um bom refúgio para o S. João de ver, sendo quase sempre dali que saíram os lances de maior perigo.    
 
Aos 40′ minutos, num canto com dois cabeceamentos na grande área do União de Lamas, surge o 0 – 1 para os visitantes, com a defesa da casa a ver jogar. Dois minutos depois, centro largo e cabeceamento fulgurante do atleta do S. João de Ver, para novo golo de belo efeito — o S. João de Ver chegava assim ao 0 – 2. 
 
Aos 45’+3′, o União de Lamas reduz para 1 – 2 por Jair, que entra na área em drible e atira ao canto esquerdo da baliza malapeira — um golo de grande efeito.
 
E, assim, estavam lançados os condimentos para a 2-ª parte.
 
O União de Lamas inicia a segunda parte com vontade de inverter o resultado e esse querer obrigou um atleta do S. João de Ver a travar em falta um jogador do União de Lamas e ver o amarelo. Mas, não tardou em chegar a resposta do S. João de Ver que aos 50 minutos, aumenta a conta para 1 – 3 e prova que a eficácia é a rainha do jogo — o golo matou o União de Lamas.
 
Logo a seguir, o Lamas coloca a bola dentro da baliza adversária, mas o árbitro assinala fora de jogo — a decisão deixa algumas dúvidas, especialmente porque relançaria o encontro.
Na jogada seguinte, na marcação de um canto para o S. João de Ver, grande cabeceamento dos malapeiros, mas melhor defesa ainda do guarda-redes unionista.
 
O União de Lamas baixava os braços e dava sinais de conformismo — ao render-se ao resultado acumulava erros. Num mau atraso para o guarda-redes, a defesa da casa permite a interceção do avançado malapeiro que depois de contornar Ayoub deixou-se desarmar quando nas bancadas já se cantava golo. Não entrou desta, mas na marcação de canto surge o 1 – 4.
 
Aos 80′ minutos mais uma displicência da defesa da unionista que entrega a bola ao adversário, ‘como a esmola’ foi grande o avançado malapeiro atira ao lado.
 
Jogo bem disputado com as duas equipas a justificar os lugares cimeiros da tabela, mas é justo realçar o mérito da equipa vencedora. Os acertos que Ricardo Nascimento teve que fazer na defesa resultaram em desacertos e estes pagam-se caros porque as rotinas são importantes. 

Os treinadores:

Ricardo Nascimento

Treinador — União de Lamas
 

Ricardo Nascimento enalteceu o apoio dos adeptos e pediu “que não desistam de apoiar a equipa” — mostrou-se triste com o resultado, mas agradado com a postura dos atletas. 

O cartão vermelho do mister vai para a ‘dualidade de critérios’ da equipa de arbitragem em lances decisivos e muita tolerância em entradas à margem por parte dos atletas do S. João de Ver, que como referiu “só por duas vezes viram o amarelo”.  

 

Ricardo Maia

Treinador — S. João de Ver

Ricardo Maia foi curto, mas conciso, afirmou que “não jogamos contra uma equipa qualquer, mas vínhamos de um jogo menos conseguido e tínhamos que provar o nosso valor”, sublinhando que “os números refletem a nossa superioridade”. 

// Clique nos ícones para nos visitar nas redes sociais /

CLIQUE NO SINO VERMELHO EM BAIXO DO LADO DIREITO

SUBSCREVA GRATUITAMENTE

DIGA SIM ÀS NOTIFICAÇÕES DO DIÁRIO DA FEIRA,

E RECEBA AS NOTÍCIAS DE SANTA MARIA DA FEIRA, NA HORA, EM QUALQUER LUGAR

Diário da Feira sempre presente em Argoncilhe, Arrifana, Caldas de São Jorge e Pigeiros, Canedo, Vale, Vila Maior, Escapães, Fiães,  Fornos, Lourosa, Lobão, Gião, Louredo, Guisande Milheirós de Poiares, Mozelos, Nogueira da Regedoura, Paços de Brandão, Rio Meão, Romariz, Sanguedo, Santa Maria da Feira, Travanca, Sanfins, Espargo, Santa Maria de Lamas, São João de Ver, São Miguel do Souto, Mosteirô, São Paio de Oleiros