A mais louca Supertaça de veteranos: no fim até as taças desapareceram​

A mais louca Supertaça de veteranos: no fim até as taças desapareceram

Malapeiros comandaram o marcador com quatro golos

▌S. João de Ver sagrou-se campeão no final de um derby "quente"

Sábado, 28 de setembro, os veteranos do S. João de Ver somaram mais uma vitória em duelo concelhio entre leões — de um lado o S. João de Ver, do outro Lusitânia de Lourosa. Os malapeiros venceram e conquistaram a Supertaça.

Lourosa – 2

S. João de Ver – 4

Ao intervalo 0-2

Árbitro: Paulo 

Lourosa: Filipe, Abílio, Renato, Baltasar, Xavier, Hélio, Perasi, Gil, Aurélio, Tiago e Bruno Cardoso Jogaram ainda: Zé, Batista, Mauro, Nuno Lopes, Jerson John, Fardulha Golos: Batista (1-3) e (2-3) Treinador: Coelho  Cartões: expulsões a: Bruno Cardoso, Batista e Gil. 

S. João de Ver: Marco, Miguel, Daniel, Aurélio, Joviniano, Jorge (C), Américo, Maia, Simão, Sá Dias e Nuno. Jogaram ainda: Celestino, Sérgio, Neto, Hélder, Rapinha, Costa e Vitinha. Golos: Daniel (0-1), Maia (0-2), Celestino (0-3), Sérgio (2-4). Treinador: Paneira

Três meses depois de conquistar a Taça frente à Sanjoanense, a equipa S. João de Ver repetiu o brilharete, desta vez em terreno “neutro” e a bater o seu maior rival — o Lusitânia de Lourosa. Os Malapeiros entraram bem, foram dominadores e depressa construiram um resultado confortável; Daniel abriu o marcador, seguido de Maia e Celestino. 

Nos minutos que se seguiram o Lourosa viu-se reduzido a nove jogadores, mas nem por isso perdeu a vontade de vencer — muito pelo contrário; organizou-se e construiu alguns assaltos perigosos junto da baliza de Marco, reduzindo os danos para 2 – 3.

A margem mínima no marcador relançou as esperanças, mas apimentou as escaramuças num super dérbi de vizinhos — quem investia era bravo, mas as defensas não tremiam e protegiam o seu castelo, igualando em bravura. No meio disto tudo, nova expulsão para o Lourosa, desta vez Batista, seguindo-se o quarto golo dos malapeiros.  

A partir daqui o S. João de Ver podia ter feito mais golos, não fez, mas ficou encontrado o vencedor da Supertaça da Associação de Veteranos Terras de Santa Maria, em jogo disputado no Estádio do Lobão.

Depois do apito final e para espanto de quem viu, as escaramuças ultrapassaram os limites de campo e trouxeram mais um episódio insólito ao campeonato de veteranos — as taças haviam desaparecido, apareceram dez minutos mais tarde, mas algumas estavam partidas; espanto ou talvez não; tiveram destino fatídico os troféus destinados à equipa de arbitragem.

 Para o S. João de Ver “o que se passou no fim, nem lembra aos loucos — quando o Batista foi expulso escondeu as taças e partiu as taças dos árbitros”. 

Testemunhas no local confirmaram que o “larápio” vestia a camisola amarela, facto confirmado também pela Associação de Atletas Veteranos das Terras de Santa Maria. 

O S. João de Ver sublinha que as “entradas duras e falta de disciplina” por parte do adversário “obrigaram e bem a uma intervenção constante da equipa de arbitragem”. À falta de disciplina os malapeiros acrescentam ainda “o uso recorrente de palavrões” o que denota “falta de respeito por quem estava ver”. O S. João de Ver afirma que o larápio das taças “ofereceu porrada e foi verbalmente violento com os diretores da Associação de Veteranos”, o que “criou um ambiente lastimável”. Os malapeiros esperam que a “Associação tenha mão dura” no assunto porque os “atos irrefletidos” amontoam-se e “não vamos estar à espera até que se cometa um ato de violência grave”.     

A atuação da equipa de arbitragem gera opiniões opostas. O S. João de Ver sublinha que “o árbitro foi exemplar e expulsou quem devia ter expulso” porque “os jogadores do Lourosa não sabem perder e quando perdiam tinham entradas duras”. O Lourosa afirma que “a arbitragem teve uma atuação ridícula: a perder por 3 – 0 e com nove e jogadores ainda fizemos dois golos, terminamos o jogo com menos três jogadores”. Sobre os restantes acontecimentos o Lourosa não prestou declarações.  

Mário Pereira, secretário da Associação, confirmou que o jogador do Lourosa “escondeu e destruiu os troféus”, “o jogador será castigado e deverão ser tomadas medidas, mas a direção só vai reunir esta quinta-feira”.  Sobre os incidentes, Mário Pereira, sublinha que “como secretário da Associação não me sinto bem com estes episódios. Já na final da Taça esperávamos mostrar o melhor do campeonato de veteranos; foi como foi; esta supertaça levou o mesmo rumo.”

CLIQUE NO SINO VERMELHO EM BAIXO DO LADO DIREITO

SUBSCREVA GRATUITAMENTE

DIGA SIM ÀS NOTIFICAÇÕES DO DIÁRIO DA FEIRA,

E RECEBA, NA HORA, AS NOTÍCIAS  DE SANTA MARIA DA FEIRA, EM QUALQUER LUGAR